quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Após polêmica, Calypso está fora do Nobel da Paz

A Banda Calypso não será mais indicada ao Prêmio Nobel da Paz. Depois do turbilhão de notícias, especulações e críticas à indicação da banda paraense, a ONG Comitê da Paz realizará, na tarde de hoje, uma coletiva para informar oficialmente a decisão de retirar Joelma e Chimbinha da lista de indicados ao prêmio. O motivo, diz a ONG, é que os próprios artistas não aceitaram o convite, alegando compromissos profissionais. “Eles disseram que a agenda de shows estava muito cheia, que estavam com excesso de compromissos e não teriam tempo de cumprir com todas as obrigações da indicação”, conta o produtor cultural Jorge André, ligado à ONG Comitê da Paz.

Na coletiva, que será realizado às 16h, no Crowne Plaza Hotel, o bispo João Pedro do Nascimento, presidente do Comitê da Paz, vai falar sobre a postura da banda, que afirmou desconhecer a indicação. “Em nenhum momento entramos em contato diretamente com o casal, mas a produção (da banda) tinha ficado responsável por repassar todas as informações e decisões. Só que depois de um tempo, até a produção ficou quase incomunicável”, diz Jorge André. A ONG deve apresentar hoje os documentos que respaldam o Comitê da Paz em todas as propostas que trouxe a Belém, como o contrato com a produção da Banda Calypso, que permitiu planejar a homenagem, programar o showe objetivar torná-los Embaixadores da Paz.

“O evento Copa e Show da Paz seria realizado em janeiro, no Rio de Janeiro, mas soubemos por meio da produção da banda que Joelma e Chimbinha queriam que fosse aqui em Belém - e inclusive que o Chimbinha fazia questão da partida de futebol”, conta o produtor. O bispo diz que as declarações da banda desmotivaram a comissão, que reconsiderou a possibilidade de efetivar a indicação ao Nobel. Ele acredita que houve um desencontro de informações, já que o representante da banda,Helder Francisco, estava sabendo de tudo. Além de desapontada com a postura da banda, a ONG garante que já tem outra indicação ao Nobel. “Já temos outra pessoa para indicar ao prêmio, também paraense, mas o nome será divulgado na coletiva. Com certeza a sociedade entenderá melhor a nossa escolha”, diz Jorge André.

Ainda durante o evento, o presidente da Comissão Nacional de Defesa dos Direitos Humanos, José Antonio Ferreira de Souza, será nomeado Embaixador da Paz e representante dos reservistas da ONUnoBrasil. A mudança de planos, obviamente, alterou a programação do Copa e Show da Paz. Mas a data continua confirmada para o dia 15 de março, no Estádio Olímpico Edgar Proença, a partir das 14h. Dentre as atrações musicais estão Trilogia, Gabi Amarantos, Jeito Inocente, Alcyr Guimarães e Nosso Tom, entre outros.

“Quem vai fechar o showé a banda Companhia do Calypso. Eles foram muito solícitos conosco e aceitaram na mesma hora o nosso convite, além de arcar com a maioria dos gastos, como palco e iluminação, já que o nosso show é beneficente”, diz o coordenador. A partida de futebol também irá acontecer, com astros do Flamengo da década de 80 e astros do futebol paraense. Personalidades como o artista plástico paraense Benedicto Monteiro e a missionária americana Dorothy Stang receberão homenagens. Até o fechamento desta edição a assessoria da Banda Calypso não foi localizada para comentar o assunto.

O IMBRÓGLIO DA PAZ – No dia 3 de fevereiro, a ONG Comitê da Paz realizou um coquetel para o lançamento da indicação da Banda Calypso ao Nobel da Paz. A notícia, veiculada pelo Caderno Você, teve repercussão nacional.

Segundo a ONG, abanda paraense merecia a indicação pelo “relevante trabalho humanitário em prol dos carentes da região Norte”. Três dias depois, a polêmica estava longe do fim. Em entrevista exclusiva, o bispo João Pedro do Nascimento, Presidente do Comitê da Paz, foi enfático: “Nós os indicamos, mas eles não são obrigados a aceitar. Não estou preocupado com a resposta deles, nós fizemos a nossa parte”. O assessor da banda, Rafael Acióli, garantiu que os dois sequer sabiam da indicação. Segundo ele, o casal estaria de férias numa fazenda no interior do Pará e depois seguiria para uma viagem internacional. A escolha do vencedor do Nobel da Paz, no entanto, não é um processo rápido. A jornada inicia-se em setembro e termina em dezembro do ano seguinte. Em setembro, o comitê do Nobel envia cartas a todos os qualificados, que devem fazer suas nomeações - entre eles, chefes de Estado, reitores de universidades, membros do comitê norueguês do Nobel, conselheiros do Nobel Foundation e vencedores do Nobel em anos anteriores.

A divulgação do indicado ao prêmio pelo Comitê da Paz vai contra as regras presentes no estatuto da Nobel Foundation, que, em seu parágrafo 10, diz que informações sobre os indicados só poderão ser divulgadas 50 anos depois da premiação.

Contudo, o estatuto não informa sobre punições a quem descumprir esta regra. O estatuto está disponível no site da Nobel Foundation. O prazo final para envio dos votos termina em fevereiro. Segundo o comitê, em média, 140 pessoas e organizações são indicadas todos os anos. A partir daí, uma comissão prepara uma lista de nomes, os quais são enviados para análise e investigação de especialistas na área. A escolha final é feita em outubro, por meio de voto direito dos membros do comitê do Nobel. Ganha quem conseguir a maioria dos votos.

O resultado não é sujeito a apelação. A cerimônia de entrega do prêmio será no dia 10 de dezembro, em Oslo, na Noruega. O vencedor ganha uma medalha, um diploma e um prêmio de aproximadamente R$2.800.000.

(Diário do Pará)

2 comentários:

eu amo a joelma disse...

eu gostaria que o calcinha preta
fissese parte do dvd de 10 anos do calypso
pois os dois são otimos alem de muitos amigos
joelma paulinha e silvania

marlus chimbinha bell

michelle e ana

seria demais ñ?


vc's são os melhores do mundo

amuuu vc's

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Arquivo do blog